sexta-feira, 9 de setembro de 2011

SEPARADA/DIVORCIADA/DESQUITADA

Estou aos poucos, (bem aos poucos) tentando ter ou tentando voltar a ter uma vida social depois da separação. Nada parecido com baladas até de madrugada(nem curto mais) ou festinhas na casa de amigas todo fim de semana(nem tenho tantas amigas assim).

Mas algo parecido com um convite de churrasco no domingo, uma reuniãozinha na casa da Mô regada a vinho e muitas risadas, um passeio no shopping (nem curto tanto assim, mas tá bom)com filhos.

Mas o pouco que saí me fez sentir estranha algumas vezes. Se tem homens no pedaço, fico retraída e escrevo na minha testa a seguinte frase. "Estou em off". Meu comportamento muda, não quero que pensem que estou ali pra arrumar alguém, paquerar, azarar me insinuar ou sei lá como se chama hoje.

E qunato as mulheres?

Bom as mulheres presentes e nas mesmas condições minha são um tema vasto e para um novo post rs. Algumas me encaram como uma rival, uma que está tb na fila pra conquistar aquele cara ali de camisa verde. Outras me observam muito e nem imagino o que pensam.

Me analisam muito, pois ainda não me conhecem, não consegui convencê-las que eu não quero o cara de camisa verde e nem de cor nenhuma.

Mas o que você quer mulher de Deus??????

Quero conhecer pessoas. Que tanto podem ser mulheres ou homens, adolescentes ou idosos. Quero trocar experiencias, dores e alegrias.

Quero ter uma amiga(o) que me faça largar o que estou fazendo sem pensar duas vezes e ir até ela/ele pra ajuda-la(o).

Quero ligar pra alguém e falar: _Fiz aquele pão que você gosta, quer passar aqui no final do dia e comer um pedaço?

Assim como faz a Mô, assim como fazem as pessoas que não se preoculpam com estigmas preconceituosos.

Será que um dia isso vai mudar? Será que um dia eu vou mudar?

2 comentários:

Sonia disse...

Heydi! Tudo o que tu escreveste faz parte dos meus questionamentos, apesar de não ser separada/divorciada/desquitada. Se quem está nesse estágio se questiona, imagina uma mulher casada que sai com as amigas para SIMPLESMENTE, tomar um chopinho ou um vinhozinho. Ainda vamos derrubar esses tabus!

Elza Carrara disse...

Recomeçar é sempre difícil. Eu nunca passei pelo que você está passando, mas imagino que você deve estar confusa.
Mas vá com calma, que o "santo" tempo, tudo conserta :)
bjs